O Planeta Terra abriga, neste início de século XXI, cerca de 7,2 bilhões de habitantes. A agricultura, por seu lado, é responsável pelo fornecimento de alimentos, fibras e bioenergia para o suprimento das necessidades da comunidade humana que vive neste Planeta.

Foley et al. (2011) afirmam que atualmente cerca de um bilhão de pessoas estão em condições de subnutrição, ao mesmo tempo em que os sistemas agrícolas causam preocupação por defrontarem-se com problemas de degradação dos solos, inseguranças quanto à disponibilidade de água, alterações na biodiversidade e distúrbios climáticos em escala global. Como ressaltam os citados autores, para atingir níveis satisfatórios quanto à seguridade alimentar e às premências de manutenção da sustentabilidade, há a necessidade de aumentar substancialmente a disponibilidade de produtos agrícolas sem, contudo, permitir que a pegada ambiental da agricultura aumente de forma descontrolada.

Conforme a FAO (2011), as áreas com culturas agrícolas cobrem cerca de 1,53 bilhões de hectares, enquanto que as áreas de pecuária cobrem cerca de 3,38 bilhões de hectares, coberturas estas que, somadas, equivalem a aproximadamente 38% das extensões livres de coberturas com gelo. Ou seja, a agropecuária equivale à classe de maior extensão de terras utilizadas do Planeta, sendo que estas áreas estão entre as que possuem melhores condições para cultivos, enquanto que o restante é coberto por desertos, áreas montanhosas, tundras, áreas urbanas, reservas ecológicas e outras classes impróprias para agricultura.

Uma das ferramentas com maior potencial para o fornecimento de múltiplos tipos de informações relacionadas com a agropecuária, seja em nível regiões, ou em termos de países, e até mesmo abrangência de Planeta, tem sido, sem dúvida, o sensoriamento remoto.

A presente webpage tem o objetivo de disponibilizar um contexto panorâmico sobre o que tem sido realizado na área de sensoriamento remoto x geotecnologias x agricultura no mundo e no Brasil, bem como apresentar uma visão aproximada sobre o atual estado-da-arte, perspectivas e desafios nesta área do conhecimento.

O Brasil é um país de grande expressão agrícola mundial e a agricultura brasileira é internacionalmente reconhecida como uma das mais importantes e potenciais em termos de contribuir para a consecução de aumentos de produção agrícola, quando são consideradas as demandas futuras da humanidade.

Por outro lado, os dados de sensoriamento remoto, principalmente os orbitais, apresentam-se como meios de expressivas potencialidades para contribuir no monitoramento da agricultura na obtenção de estatísticas agrícolas de grande interesse para o País e, assim, muitos trabalhos já foram realizados ao longo das últimas décadas.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCT), em colaboração com várias instituições nacionais e internacionais, tem participado dos grandes desenvolvimentos realizados na área de sensoriamento remoto x geotecnologias x agricultura e, assim, o grupo de pesquisa desta área encoraja-se na direção de concentrar esforço na presente webpage, visando proporcionar as seguintes informações contextuais:

S.R. Agrícola no mundo: EUA, Europa, Outros países
S.R. Agrícola no Brasil: PREVS, Geosafras, Canasat
Metodologia MoBARS
Tópicos correlatos em S.R.Agrícola:
        - Índices de Vegetação
        - Agricultura de Precisão
        - Impactos da Agricultura ao meio ambiente
        - Interpretação de imagens de S.R. para Agricultura
        - Comportamento espectral de culturas agrícolas
        - Séries temporais
        - S.R.Agrícola x dados microondas
Tópicos de Pesquisas na área de S.R.Agrícola
Construção de capacitação para a área de S.R.Agrícola
Monitoring of Brazilian Agriculture by Remote Sensing (MoBARS)
Sensoriamento Remoto X Agricultura
Instituições Participantes
Copyright, INPE, ALL rights reserved